quinta-feira, 25 de agosto de 2016

PROJECTAR EM OLEIROS

Antes de terminar o Verão, retomamos a actividade PROJECTAR na vila de Oleiros no próximo dia 15 de Setembro com mais uma sessão dupla, desta vez dedicada aos dois arquitectos que foram distinguidos com o Prémio Pessoa, Eduardo Souto de Moura (em 1998) e João Luís Carrilho da Graça (em 2008), e que terá lugar na Casa da Cultura de Oleiros, pelas 19h00.


quinta-feira, 4 de agosto de 2016

ARX ARQUIVO - EXPOSIÇÃO ITINERANTE #4


Convite para a exposição de Arquitectura ARX ARQUIVO - Touring Exhibition #4 no âmbito da parceria estabelecida entre o Município de Leiria e a Delegação do Centro da Ordem dos Arquitectos – Secção Regional Sul.

Inauguração da exposição a cargo do Arquitecto Nuno Mateus, no dia 5 de Agosto, às 18:30h, na galeria de exposições do Mercado de Sant'Ana, em Leiria.

Após ter estado patente ao público em Abrantes, no Convento de Cristo em Tomar, e em Castelo Branco, a Delegação do Centro da Ordem dos Arquitectos promove, em colaboração com o Município de Leiria, a itinerância (de parte) da exposição que esteve patente na Garagem Sul do Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

A actividade da ARX PORTUGAL ARQUITECTOS tem marcado a arquitectura portuguesa, evidenciando uma constante acutilância crítica e vontade experimental. A sua singularidade emerge da exploração intensiva do projecto arquitectónico.

ARX arquivo é uma exposição centrada na construção de um arquivo. Um arquivo que se constitui, dando-se a ver, mostrando-se. Proporciona, assim, a experiência de habitar este arquivo, com as suas formas surpreendentes de referenciação e classificação do processo arquitectónico.

Exposição
ARX ARQUIVO - Exposição Itinerante #4
5 de Agosto a 30 de Setembro de 2016
Galeria de Exposições, Mercado de Sant'Ana, Leiria

Parceria:
Município de Leiria
ARX Portugal Arquitectos

sábado, 23 de julho de 2016

HABITAR PORTUGAL 12-14 - VISITA GUIADA #1


Exposição
HABITAR PORTUGAL 12-14
Moagem A Portuguesa, Complexo Cultural da Levada de Tomar
20 de Julho a 11 de Setembro
4.ª-feira a domingo, das 15h00 às 19h00
Entrada livre

Os membros desta Delegação da Ordem dos Arquitectos foram convidados pelos comissários da exposição "Habitar Portugal 2012-14" para conduzir a primeira visita guiada, este domingo pelas 18h00, na Moagem A Portuguesa, no Complexo Cultural da Levada de Tomar.

O Habitar Portugal 12-14 pretende ser um olhar sobre a produção arquitectónica portuguesa do último triénio a partir de um ponto de vista que articula duas ideias fundamentais. A primeira decorre do momento que o País vive a que, presumimos, a produção de arquitectura não será alheia. O tema proposto - está a arquitectura sob resgate? - estabelece desde logo um contexto onde situar as obras e um enquadramento para as poder ver e analisar. Acreditamos que este é o pano de fundo do espaço onde, ao longo deste tempo, acontecem as práticas arquitectónicas em Portugal cuja maior ou menor presença o HP vai tratar de analisar.

O Habitar Portugal é uma selecção, uma escolha das obras de arquitectura que, a partir de vários programas, lugares, escalas ou condições, se consideram desde o ponto de vista de cada um dos seus comissariados, exemplares, no seu tempo e na sua condição. Esta é a quinta edição do Habitar Portugal o que significa que esta iniciativa acumulou um acervo de cerca de 400 obras ao longo de 15 anos de existência que deve ser valorizado. Os registos desse acervo permitem-nos hoje estabelecer pontos de comparação com a situação actual, as potenciais transformações na prática projectual ou edificatória afectada pelas condições de austeridade e escassez provocadas pelo resgate da Troika. É essa a segunda ideia fundamental, trazer à luz um palimpsesto que resulta das obras que fizeram parte das quatro edições anteriores e assim encontrar os registos que o lastro que elas deixaram faz emergir em contraste ou continuidade com o momento que vivemos. Crise, resgate e palimpsesto são as marcas da condição actual, estão presentes no quotidiano e na paisagem do país onde hoje vivemos. Que impacto têm na arquitectura em Portugal?

Mais informações em www.habitarportugal.org

quinta-feira, 21 de julho de 2016

PROJECTAR #44


A quadragésima quarta sessão (mais uma vez dupla) da actividade PROJECTAR, com a temática da reabilitação a presidir à selecção dos documentários a exibir, ocorre (pela primeira vez) no mês de Agosto, no dia 4 e terá lugar no auditório do reabilitado Edifício da Resinagem, na Marinha Grande, pelas 19h00.

Ambos da série Architectures, o primeiro, realizado por Richard Copans em 2012, apresenta-nos a reconversão de uma antiga fábrica em centro social e cultural pela arquitecta italo-brasileira Lina Bo Bardi entre 1977 e 1986.

No bairro de Palmeiras, em São Paulo, uma antiga fábrica alinha as suas oficinas de princípios do século XX com estranhos blocos de betão que se erguem face à cidade e às suas torres.
Um centro social e cultural destinado aos empregados do comércio. A sua autora, a arquitecta Lina Bo Bardi, prefere falar de uma «cidade do lazer», como um símbolo, da reconversão de um local de trabalho e afirmação de uma alternativa perante a Metrópole. Uma obra prima da «Architettura Povera».?


in: http://boutique.arte.tv/f8611-architectures_citadelle_loisir_centre_social_pompeia



O segundo documentário, realizado em 2011 por Juliette Garcia, é dedicado à recuperação e adaptação de um edifício administrativo nos arredores de Paris, concebido pelo arquitecto Jacques Kalisz em 1969, em Centro Nacional da Dança pela dupla de arquitectas Antoinette Robain e Claire Guieysse em 2004.

A mutação de um mastodonte de betão, o Centro Administrativo de Patin (1969) em Centro Nacional da Dança (2004)...
... ou o bem sucedido encontro entre Brutus e as bailarinas. Uma reabilitação arquitectónica que deve sem dúvida o seu sucesso à força monumental do edifício original.

in: http://boutique.arte.tv/f8607-architectures_centre_national_de_la_danse



Com estas sessões propõe-se esta Delegação da Ordem dos Arquitectos exibir documentários de Arquitectura, como forma de divulgar a vida e obra de arquitectos com importância na história e teoria da arquitectura, nacional e internacional, de várias épocas e movimentos, e assim contribuir para o enriquecimento da cultura arquitectónica na nossa região.

Estas sessões destinam-se, para além dos arquitectos da região, a outros técnicos e a todas as pessoas com curiosidade e interesse nestes temas, sendo de entrada livre mas limitadas à lotação do auditório do Edifício da Resinagem, na Marinha Grande, disponibilizado para o efeito.

Apoio:
Município da Marinha Grande

PROGRAMA:

4 de Agosto, 19h00
Auditório do Edifício da Resinagem, na Marinha Grande
A Cidade do Lazer, o Centro Social Pompeia em São Paulo
LINA BO BARDI
(2012, Richard Copans, 26')
O Centro Nacional da Dança
J. KALISZ, A. ROBAIN & C. GUIEYSSE
(2011, Juliette Garcia, 26')

quarta-feira, 20 de julho de 2016

HABITAR PORTUGAL 12-14 - DEBATE #1


Arquitectura e inclusão social: a todas as portas
Moinho da Ordem, Complexo Cultural da Levada de Tomar
20 de Julho, 19h00

Os acontecimentos que têm assombrado a Europa pela confrontação a que a obrigam com a sua lógica e os seus valores chegam a Portugal.
A violência das imagens que vemos de refugiados a chegar a uma Europa que se definiu a si mesma como um espaço natural de acolhimento e de inclusão faz-nos reflectir sobre o nosso papel como cidadãos e sobre a acção específica dos arquitectos. Da arquitectura e do seu papel como corpo capaz de integrar em si, na sua disciplina, questões e temas que implicam todos. Inclusão parece-nos ser um tema positivo, ou seja, um tema que surge naturalmente e que decorre da prossecução natural da vida em comunidade. Na realidade, inclusão surge como um tema reactivo, como uma resposta a manifestações de exclusão.

Este será um primeiro tema para o debate, preocupamo-nos com a necessidade de incluir porque nos confrontamos com a exclusão.

O Conjunto Habitacional de Penela, obra que aqui se apresenta pela circunstância de pertencer a uma proximidade geográfica com Tomar, traz-nos a escala e a amplitude destas questões que nos parecem próximas na nossa coexistência mediática com o mundo em que vivemos, neste caso o problema específico dos refugiados sírios, mas traz-nos de volta aos nossos problemas quotidianos como o é a integração das comunidades ciganas no espaço alargado de que todos fazemos parte mesmo que não participem do mediatismo da informação com que nos confrontamos diariamente.
Acontece reconhecermos um problema que existe à frente dos nossos olhos quando o localizamos pela mira dos media. Muitas vezes viver e fazer reconhecer um problema passa por mantê-lo vivo, à luz, longe da obscuridade, do esquecimento.

Boa parte da arquitectura do século XX emerge como resposta às condições de vida de um mundo em processo de industrialização e muitas das respostas então estabelecidas são ainda presentes. As décadas de 1960 e 70 construíram espaços de confluência entre a arquitectura e a sociologia que permanecem actuais e formaram muita da consciência social que tem hoje espaços activos nas discussões que se estabelecem sobre o papel social que a arquitectura tem ou pode vir a ter na vida que todos compartilhamos. A arquitectura manifesta, pelos programas que lhe dão origem e pelas respostas que propõe, um espaço de reflexão sobre a sua participação nos processos de construção das formas e dos espaços em que vivemos.
O segundo tema de discussão que propomos é precisamente sobre esse papel. No espaço de tempo que corresponde a esta edição do Habitar Portugal, 2012-2014, que coincidiu com a intervenção da troika em Portugal, qual é o estado desse espaço de reflexão? Como se manifestou na arquitectura que por aqui se pratica? Que formas, processos, intenções traz a arquitectura para um espaço mais alargado de discussão?

E a arquitectura, ela própria, como fica?

Oradores
João Boto Caeiro (arquitecto, rootstudio (MEX))
José António Pinto / Chalana (assistente social, Bairro do Lagarteiro do Porto)
Manuela Mendes (socióloga, CIES / FAUTL)
Tiago Mota Saraiva (arquitecto, ateliermob)

Moderação
Comissariado
HP12–14

terça-feira, 19 de julho de 2016

PROJECTAR NA MARINHA GRANDE

Pela primeira vez em Agosto, a actividade PROJECTAR vai até à Marinha Grande no próximo dia 4 para outra sessão dupla, desta vez com o tema da Reabilitação, e que terá lugar precisamente no reabilitado Edifício da Resinagem, pelas 19h00, com a projecção dos documentários sobre A Cidade do Lazer, o Centro Social Pompeia em São Paulo, de Lina Bo Bardi, e O Centro Nacional da Dança nos arredores de Paris, com projecto original de Jacques Kalisz, recuperado e adaptado por Antoinette Robain e Claire Guieysse.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

HABITAR PORTUGAL 12-14 EM TOMAR


Exposição
HABITAR PORTUGAL 12-14
Moagem A Portuguesa, Complexo Cultural da Levada de Tomar
20 de Julho a 11 de Setembro

A Câmara Municipal de Tomar e a Ordem dos Arquitectos, com a Cinca e a Mapei, convidam para a inauguração da exposição "Habitar Portugal 2012-14".
 
"Habitar Portugal" é uma selecção de obras construídas por aquitectos a trabalhar em Portugal. A presente edição é comissariada pelos arquitectos Luís Tavares Pereira, Bruno Baldaia e Magda Seifert e tem como tema "Está a arquitectura sob resgate?".

20 de Julho
18h00 - Inauguração
Moagem A Portuguesa
Complexo Cultural da Levada de Tomar
19h00 - Debate
"Arquitectura e Inclusão Social: a todas as portas"
João Boto Caeiro (arquitecto, rootstudio (MEX))
José António Pinto (assistente social, Bairro do Lagarteiro do Porto)
Manuela Mendes* (socióloga, CIES / FAUTL)
Tiago Mota Saraiva (arquitecto, ateliermob)
* a confirmar

Mais informações em www.habitarportugal.org