sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

PROJECTAR COM KAZUYO SEJIMA E RYUE NISHIZAWA (SANAA)


A dupla de arquitectos japoneses KAZUYO SEJIMA e RYUE NISHIZAWA estará em foco na próxima sessão da actividade PROJECTAR, a partilhar uma sessão dupla dedicada a novas espacialidades projectadas por mulheres, programada para quinta-feira 15 de Dezembro, pelas 19h00 na Sala Teófilo Carvalho dos Santos, nos Paços do Concelho de ALENQUER.

KAZUYO SEJIMA (n.1952)                                        RYUE NISHIZAWA (n.1966)

Kazuyo Sejima nasceu a 29 de Outubro de 1956 na perfeitura de Ibaraki, no Japão. Formou-se em Arquitectura na Universidade de Mulheres do Japão em 1981, ano em que começou a trabalhar no gabinete de Toyo Ito.

Ryue Nishizawa nasceu a 7 de Fevereiro de 1966 na perfeitura de Kanagawa, no Japão. Formou-se em Arquitectura na Universidade Nacional de Yokohama em 1990.

Depois do período de aprendizagem com Toyo Ito, Kazuyo Sejima fundou o seu próprio gabinete Kazuyo Sejima & Associates em 1987. Uma das suas primeiras contratações foi Ryue Nishizawa, um estudante que trabalhou com ela no gabinete Toyo Ito and Associates.

Entre as suas primeiras obras destacam-se Plataforma I Casa de Férias na perfeitura de Chiba (1987-1988) e Plataforma II Estúdio, em Yamanashi (1988-1990) que lhe valeram os primeiros prémios, e o Dormitório Feminino de Saishunkan Seiyaku, em Kumamoto (1990-1991) que lhe valeu o prémio Jovem Arquitecta do Ano em 1992 atribuído pelo Instituto dos Arquitectos do Japão.

Após vários anos a trabalhar para Sejima, Ryue Nishizawa quis sair para montar o seu próprio gabinete, mas Sejima propôs-lhe que ficasse e formassem uma parceria. Em 1995, os dois fundaram em Tóquio a firma SANAA (Sejima and Nishizawa and Associates). Mantendo a parceria, ainda assim estabelece o seu próprio gabinete the Office of Ryue Nishizawa em 1997.

Entre os projectos desenvolvidos em conjunto podem destacar-se o O-Museum, em Iida, Nagano (1995-1999), o Museu de Arte Contemporânea do Século XXI, em Kanazawa, Ishikawa (1999-2004), a Escola de Design de Zollverein, Essen, na Alemanha (2003-2006), o Pavilhão de Vidro do Museu de Arte de Toledo, no Ohio, EUA (2001-2006), o Novo Museu de Arte Contemporânea de Nova Iorque (2003-2007) e o Centro de Aprendizagem Rolex na Escola Politécnica Federal de Lausanne, Suiça (2004-2010).

Em paralelo com a actividade profissional, Sejima lecciona como professora visitante na Universidade de Arte de Tama e na Universidade de Keio, em Tóquio. Juntamente com Nishizawa, de 2005 a 2008, ocupou a Cátedra Jean Labatut na Escola de Arquitectura da Universidade de Princeton, Nova Jersey, nos Estados Unidos, onde ela também participou no conselho consultivo durante vários anos. Sejima também ensinou na Escola Politécnica de Lausanne. Nishizawa é professor na Universidade Nacional de Yokohama.

Em conjunto, Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa foram agraciados com a Arnold Brunner Memorial Medal da Academia Americana de Artes e Letras em 2002, um prémio de design do Instituto de Arquitectura do Japão em 2006, e com o Kunstpreis Berlin de 2007 da Academia de Artes de Berlim. Em 2010 receberam o Prémio Pritzker, sendo Sejima a segunda mulher a recebê-lo e Nishizawa o agraciado mais jovem.

Adaptado de en.wikipedia.org/wiki/Kazuyo_Sejima, de en.wikipedia.org/wiki/ Ryue_Nishizawa, de en.wikipedia.org/wiki/SANAA e de www.pritzkerprize.com/2010/bio


Informações sobre os documentários aqui.
Mapa de localização do local onde decorrerá a sessão aqui.

Apoio:
Município de Alenquer

PROGRAMA:

15 de Dezembro, 19h00
Sala Teófilo Carvalho dos Santos, Paços do Concelho de Alenquer
Phaeno, o edifício paisagem
ZAHA HADID

(2006, Richard Copans, 26')
O Centro de Aprendizagem Rolex
KAZUYO SEJIMA
e RYÛE NISHIZAWA
(2012, Juliette Garcias, 26')

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

PROJECTAR COM ZAHA HADID



Pela segunda vez, a arquitecta ZAHA HADID estará em foco na actividade PROJECTAR, depois de em Maio lhe ter sido dedicada uma sessão, desta vez a partilhar uma sessão dupla dedicada a novas espacialidades projectadas por mulheres, programada para quinta-feira 15 de Dezembro, pelas 19h00 na Sala Teófilo Carvalho dos Santos, nos Paços do Concelho de ALENQUER.

ZAHA HADID (1950-2016)

Zaha Mohammad Hadid nasceu a 31 de Outubro de 1950 em Bagdad, no Iraque, filha de Muhammad al-Hajj Husayn Hadid, um industrial abastado de Mosul co-fundador do grupo liberal de esquerda al-Ahali e do Partido Democrata Liberal, e de Wajiha al-Sabunji, uma artista de Mosul.

Após os estudos numa escola católica em Bagdad e em colégios internos em Inglaterra e na Suiça, Zaha Hadid formou-se em Matemática na Universidade Americana de Beirute e, em 1972, mudou-se para Londres para estudar na Escola de Arquitectura da Architectural Association, onde se formou em 1977, sendo distinguida com um Diploma Prize.

Aí conheceu, como professores, Rem Koolhaas, Elia Zenghelis, com os quais vai trabalhar no Office of Metropolitan Architecture (OMA), em Roterdão, e Bernard Tschumi.

Estabeleceu-se em Londres com gabinete próprio em 1980. Os primeiros anos são difíceis, ocupados principalmente com trabalhos de investigação e experimentação, em desenhos e pinturas, destacando-se a vitória no concurso para um centro recreativo e de lazer do Hong Kong Peak Club em 1983, que no entanto, não chegou a ser realizado.

Este trabalho teórico e pictórico torna-se conhecido em várias exposições, entre as quais a retrospectiva na Architectural Association em Londres, em 1983, e a "Deconstructivism in Architecture" no Museum Of Modern Art em Nova Iorque, em 1988. Por estes anos também dá aulas na Harvard Graduate School of Design e na Architectural Association.

As primeiras obras construídas foram o conjunto habitacional IBA em Berlim (1986-93) e o quartel de bombeiros da fábrica Vitra em Weil am Rhein (1993-94). Seguem-se os projectos realizados para o parque de estacionamento e Terminal Hoenheim Norte em Estrasburgo (2001), o Bergisel Ski Jump em Innsbruck (2002), e o Rosenthal Center for Contemporary Art em Cincinnati, no Ohio (2003).

Paralelamente Zaha Hadid continua a envolver-se no meio académico, leccionando como professora convidada na Harvard University, na Yale University, na University of Illinois em Chicago, na Columbia University, na University of Visual Arts em Hamburgo e na University of Applied Arts em Viena.

O seu trabalho é várias vezes distinguido em concursos internacionais, nos quais aposta fortemente, embora nem sempre com o resultado esperado, como no caso do projecto para a Cardiff Bay Opera House (1995), que mesmo após vencer as três fases do concurso não viu o seu projecto ser concretizado. Mas resultam de concursos as suas primeiras grandes obras, como o BMW Central Building em Leipzig (2001-2005), o Centro de Ciência Phaeno em Wolfsbourg (2000-2005) ou o MAXXI Museu Nacional das Artes do Século XXI em Roma (1998-2010).

Por concurso ou por encomenda directa, as suas obras começam a espalhar-se pelo mundo, crescendo em volume e quantidade, entre as quais se destacam: o Pavilhão Ponte para a Expo 2008 em Zaragoza, a Torre CMA CGM em Marselha (2004-2011), a Academia Evelyn Grace em Brixton, Londres (2006–10), a Opera de Guangzhou (2005-2010), o Galaxy Soho em Pequim (2012), o London Aquatics Centre (2011) para os Jogos Olímpicos de Londres 2012, ou o Centro Cultural Heydar Aliyev em Baku (2007–12).

Foi distinguida com muitos prémios, sendo em muitos deles a primeira e única mulher a recebê-los, destacando-se o Prémio de Arquitectura Contemporânea da União Europeia em 2003, o Prémio Pritzker em 2004, o RIBA European Award em 2005, 2006, 2008, 2010, 2013 e 2014, o Praemium Imperiale em 2009, ou o Stirling Prize em 2010 e 2011.

Faleceu de ataque cardíaco em 31 de Março de 2016, em Miami, onde se encontrava a tratar uma bronquite, deixando uma grande quantidade de projectos e obras em curso.

Adaptado de en.wikipedia.org/wiki/Zaha_Hadid e de www.pritzkerprize.com/2004/bio


Informações sobre os documentários aqui.
Mapa de localização do local onde decorrerá a sessão aqui.

Apoio:
Município de Alenquer

PROGRAMA:

15 de Dezembro, 19h00
Sala Teófilo Carvalho dos Santos, Paços do Concelho de Alenquer
Phaeno, o edifício paisagem
ZAHA HADID

(2006, Richard Copans, 26')
O Centro de Aprendizagem Rolex
KAZUYO SEJIMA
e RYÛE NISHIZAWA
(2012, Juliette Garcias, 26')

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

PROJECTAR #48


A quadragésima oitava sessão da actividade PROJECTAR desafia-nos a conhecer a singular espacialidade das obras da arquitecta Zaha Hadid, em Wolfsburg, e da dupla japonesa do gabinete SANAA, Kazuyo Sejima e Ryûe Nishizawa, em Lausanne, em mais uma sessão dupla que terá lugar na Sala Teófilo Carvalho dos Santos, nos Paços do Concelho de Alenquer, no próximo dia 15 de Dezembro, pelas 19h00.



Ambos da série Architectures, o primeiro documentário, realizado por Richard Copans em 2006, leva-nos a conhecer o Centro de Ciências Phaeno, projectado pela arquitecta Zaha Hadid:
Um edifício excepcional criado por Zaha Hadid, a única mulher arquitecta no grande palco internacional, recentemente desaparecida.
No final dos anos 1990, para afirmar uma identidade forte face ao seu poderoso contribuinte Volkswagen, a cidade de Wolfsburg, situada entre Berlim e Hanôver, decide construir um Centro de Ciências. O projecto é atribuído à arquitecta Zaha Hadid, única mulher arquitecta no palco internacional, que imagina um edifício triangular pousado sobre cones onde se alojam as funções secundárias (recepção, restaurante, loja). Denominado Phaeno (como fenómeno), ele acolhe duzentos e cinquenta locais de experimentação científica, lúdicos e pedagógicos. O edifício propõe um trajecto, um encadeamento de pontos de vista, um modo de estar no mundo e de experimentar o espaço, uma experiência a viver ao mesmo nível que as experiências sobre a visão, a matéria ou a energia.


in: http://boutique.arte.tv/f1647-architecturesphaeno



O edifício em foco no segundo documentário, realizado em 2012 por Juliette Garcias, é o Centro de Aprendizagem Rolex, projectado pela dupla japonesa do gabinete SANAA, Kazuyo Sejima e Ryûe Nishizawa:
Pousado nas margens do lago Léman, uma onda de betão e de vidro, que inspira, desde a sua construção em 2010, inúmeras metáforas!
Alguns vêem nele uma fatia de Emmental, um tecido molecular, outros ainda um tapete voador carcomido. É verdade que o edifício não se parece com nada conhecido e a sua forma não permite realmente adivinhar o que abriga. É o que chamam um Centro de Aprendizagem, um novo conceito que designa um espaço multifuncional dedicado ao conhecimento.
Neste volume flutuante de mais de 20.000 m2, não há uma única parede. Às divisórias que separam, os arquitectos preferiram uma topografia artificial, feita de montes em suave inclinação e vales. Os estudantes deambulam, passam da biblioteca ao restaurante, das salas de trabalho à sala de conferências deslizando de uma colina para um vale, sem nunca atravessar uma porta. O público fabrica o seu próprio caminho, de acordo com a sua curiosidade, em espaços nos quais ele tem de transformar ou reinventar as funções.
É um lugar sem igual, grande gesto plástico de arquitecto, que revoluciona a nossa concepção do espaço e propõe uma experiência física completamente inédita.


in: http://boutique.arte.tv/f8545-architectures_rolex_learning_center



Com estas sessões propõe-se esta Delegação da Ordem dos Arquitectos exibir documentários de Arquitectura, como forma de divulgar a vida e obra de arquitectos com importância na história e teoria da arquitectura, nacional e internacional, de várias épocas e movimentos, e assim contribuir para o enriquecimento da cultura arquitectónica na nossa região.

Estas sessões destinam-se, para além dos arquitectos da região, a outros técnicos e a todas as pessoas com curiosidade e interesse nestes temas, sendo de acesso livre mas limitadas à lotação da Sala Teófilo Carvalho dos Santos, nos Paços do Concelho de Alenquer, que está disponível para o efeito.

Apoio:
Município de Alenquer

PROGRAMA:

15 de Dezembro, 19h00
Sala Teófilo Carvalho dos Santos, Paços do Concelho de Alenquer
Phaeno, o edifício paisagem
ZAHA HADID

(2006, Richard Copans, 26')
O Centro de Aprendizagem Rolex
KAZUYO SEJIMA e RYÛE NISHIZAWA

(2012, Juliette Garcias, 26')

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

HÁ DEZ ANOS - NÚCLEO DO MÉDIO TEJO NO CONGRESSO DE ALMADA (3.º DIA)

Participação no
11.º CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTUGUESES
3.º CONGRESSO DA ORDEM DOS ARQUITECTOS
23 a 25 de Novembro
Almada

Aqui ficam algumas fotos do terceiro dia do 11.º Congresso dos Arquitectos, cujo programa pode ser recordado aqui.
No Teatro Municipal de Almada, o dia começou com a conferência Trabalhos Recentes por William Alsop do gabinete Alsop & Partners, e Presidente da Architecture Foundation, seguida da apresentação das Conclusões das Sessões de Trabalho e respectivo debate.
Conferência por William Alsop
(clicar na imagem para ver mais)

Seguiu-se, na Academia Almadense, a realização da Assembleia Geral para apresentação das moções finais e votação das conclusões.

Assembleia Geral do Congresso
(clicar na imagem para ver mais)
O encerramento do 11.º Congresso teve lugar na Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea, com o cocktail de encerramento e visita à Exposição 1950-2000 Cinquenta anos de Arquitectura e Urbanismo em Portugal através da obra de Francisco Silva Dias, com visita guiada pelo próprio.
Visita guiada pelo Arq.º Francisco Siva Dias à exposição dedicada à sua obra
(clicar na imagem para ver mais)